Novo Grupo de investigação

Iniciando dia 2 de abril/24:
Luto e melancolia: por uma arqueologia da obra freudiana.

Mediadoras:
Maria Izabel Freitas, Adriana Gobbi e Márcio Pereira Cabral.

 

Não é raro ouvirmos nossos colegas comentarem, nos espaços de troca, sobre a dificuldade em escutar e intervir onde a pulsão de morte se estanca na odiosidade do supereu contra o eu. Sendo essa a identificação tanática protagonista da trama dos processos de melancolização. Como se a possibilidade de construção de processos e travessias de lutos fossem acontecimentos quase utópicas em determinadas repetições e desmoronamentos do eu. É a partir dessa inquietação provocada pelas cenas da clínica psicanalítica e com a intenção de aprofundamento teórico-clínico que decidimos convidá-los a se juntar a nós para compor este espaço de investigação. Para nos ocuparmos de um tema tão delicado e de difícil manejo em nosso ofício.

Assim sendo, a proposta deste grupo de investigação constitui-se a partir do desejo em estudar o tema da melancolia, das depressões e dos lutos, de maneira aprofundada e implicada. Tendo em vista sua dimensão nas configurações psíquicas, nos processos de padecimento, bem como nas manifestações em nosso campo histórico-social. É importante situar aqui que a ideia de investigar consiste na integração dos seguintes eixos: estudos teóricos, trocas de materiais clínicos – mantendo a ética do sigilo como fundamento, recursos culturais e também a abertura para uma produção de escrita coletiva.

 

– Maria Izabel Freitas: psicóloga, psicanalista em formação, membro associado Sig e artista visual.
– Adriana Gobbi: psicóloga, mestre em Psicologia Cínica (PUCRS), psicanalista em formação e membro associado Sig.
– Márcio Pereira Cabral: professor e psicanalista em formação, membro associado Sig.

 

Encontros quinzenais, terças-feiras, 11h30 às 13h
Exclusivamente para sócios | Presencial, na sede da Sig.
Inscrições na Secretaria da Sig

(ilustração: Maria Izabel Freitas)

 

shares